Trabalhabilidade = Sucesso do Estudante na Era 4.0

A Era 4.0 é um momento marcado por constantes mudanças e um contexto de imprevisibilidades. Como consequência, as rotinas são cada vez mais mutáveis e os arranjos produtivos baseados em tarefas pré-definidas questionados. Deixa de fazer sentido tanto para as organizações, quanto para as pessoas, a ideia de se trabalhar em uma mesma organização durante grande parte de sua vida profissional, ou mesmo por alguns anos, ocupando funções específicas e realizando tarefas mais complexas até alcançar os maiores níveis hierárquicos.

As organizações precisam de cada vez mais agilidade para se adaptar às mudanças e ganha espaço a atuação por projetos e contratações pontuais de profissionais especialistas, criativos e com competências comportamentais diferenciadas. Ou seja, o vínculo entre trabalhadores e organizações baseado no emprego fixo e relativamente estável deixa de ser a regra. Na outra ponta, os profissionais buscam por maior autonomia e oportunidades de mobilizar seus talentos e capacidades. Para as novas gerações essa necessidade é ainda mais intensa e associada à intenção de atuar de forma alinhada a seu propósito, valores e estilo de vida.

Nessa nova realidade, a empregabilidade cede a vez para a trabalhabilidade, conceito criado para representar a capacidade de uma pessoa criar por si só várias possibilidades de ganho financeiro ao converter suas habilidades e interesses em ativos relevantes e autogerenciar sua carreira a serviço do mercado, sem que para isso precise ter um só emprego em uma organização. Além disso, a trabalhabilidade representa a possibilidade de uma pessoa levar sua proposta de valor ao longo de toda a vida.

Na verdade, essa não é uma possibilidade tão recente assim. Os profissionais autônomos, empreendedores e consultores sempre se mantiveram alinhados à essa lógica. A diferença é que agora essa passa a ser a lógica vigente percebida na propagação da mentalidade empreendedora, na dinâmica ágil e fluida das startups, na popularização da atuação freelancer e na mudança de postura profissional orientada para o protagonismo. Isso não quer dizer que o emprego vai deixar de existir, mas possivelmente vai deixar de ser o vínculo profissional mais comum e desejado.

Para o mundo educacional isso representa uma verdadeira revolução de intenções, já que o foco passa a ser a formação de profissionais que querem priorizar a independência e não a carteira assinada.  O redirecionamento das diretrizes pedagógicas aponta para o desenvolvimento da consciência do potencial profissional do aluno e de como aplicá-lo em diferentes contextos, projetos e dinâmicas de atuação.

Isso significa a adaptação das estruturas curriculares para ampliar as competências dos estudantes e prepará-los para atuar nessa nova realidade, a adoção de uma série de abordagens educacionais complementares ainda pouco comuns no ensino superior como a educação empreendedora e de negócios, o aprendizado por projetos, a implementação de trilhas de aprendizado personalizadas, a atuação colaborativa e prática, e a Educação de Carreira.

Na Aceleradora de Carreiras temos como missão promover a trabalhabilidade e o sucesso do estudante por meio da Educação de Carreira. Acessando nossa plataforma, o aluno consegue descobrir seu potencial profissional e o grau de afinidade de seu perfil com as principais oportunidades de mercado. Também consegue desenvolver sua mentalidade protagonista por meio de trilhas de aprendizagem e autogerir sua carreira ao identificar oportunidades de estágio, emprego ou trainee mais adequadas ao seu perfil. O objetivo é preparar o aluno para se tornar um profissional da Era 4.0 e auxiliar sua Instituição de Ensino a continuar cumprindo a missão de formar com excelência os  profissionais do futuro.

 

Por Elzí Campos – PhD em Educação de Carreira. Cofundadora da DNA da Educação, aceleradora digital de carreiras para educação. É criadora da Ciência do Protagonismo, metodologia de desenvolvimento profissional integrativo.  Tem como missão auxiliar pessoas a acelerarem seus Propósitos.

Related Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *